SIGA-NOS PELO EMAIL

Conheça a sala de bate papo que esta revolucionando o mundo virtual

Club Cooee

BATE PAPO RESGATE E VIDA

pratas e folheados

terça-feira, 5 de junho de 2012

O Poder da Língua O PODER DA MORTE



O PODER DA MORTE

Um casal muito simpático, com seus três lindos filhos, estudava em um seminário preparando-se para servir a Deus no ministério. Todos que os viam juntos concordavam que formavam um belo casal e, além do mais, eram muito talentosos, com personalidades carismáticas.
A esposa amava tanto o seu marido que repetidas vezes ouviram-na dizer a seguinte frase: "Se for para perder meu marido para outra mulher, prefiro morrer antes".
Os anos passaram, e já estavam exercendo um ministério pastoral, em determinada cidade. Infelizmente o marido começou a perder sua intimidade com Deus e estava se tornando frio espiritualmente. Com esse clima, ele se abriu à tentação e começou um caso com outra mulher.
A sua traição à esposa foi descoberta, mas antes que ele tomasse a decisão se terminaria o casamento ou não, foi diagnosticado nela um tumor no cérebro, e a previsão dos médicos foi que teria pouco tempo de vida. Dito e feito! As palavras que tinha pronunciado tantas vezes tornaram-se realidade na sua vida.
Literalmente ela não perdeu o marido para a outra mulher, pois morreu antes disso acontecer, exatamente do jeito que sempre tinha falado que desejaria que acontecesse. Ela descobriu, da forma errada, o tremendo poder que nossas palavras contêm. E o triste fato é que, quando pronunciava tais palavras de morte sobre si mesma, pensava que estava fazendo uma mera exclamação de apego ou afeto, sem efeitos reais.
Milhões de pessoas ao redor do mundo cometem o mesmo erro todos os dias. Algumas vezes, a ponto de trazer a sua própria morte, como nessa história, enquanto em outras, trazem calamidade e desgraça, porém em um grau menor. Elas desconhecem o extraordinário poder que está nas suas próprias línguas e a força sobrenatural que liberamos pelas nossas palavras!
Eu passei grande parte da minha vida sem descobrir essa verdade. Recém-ingressado no ministério, e ainda bastante jovem, comecei a fazer muitas viagens para lugares perigosos. Um dia, após o retorno da minha última viagem, encontrei meu pai, pastor desde antes do meu nascimento, e lhe disse: "Acho que vou morrer numa rajada de balas de metralhadora, em uma das minhas viagens". Eu já tinha feito essa mesma declaração a outras pessoas, pois angariava uma reação emocional que fazia com que eu me sentisse mais valorizado.
Na minha inocência e ignorância desse princípio bíblico, estava abrindo a porta no mundo sobrenatural para que o inimigo me matasse exatamente assim. Tenho certeza absoluta que minha vida foi salva pela reação do meu pai. Ele me disse: "Filho, Deus lhe revelou isso ou você está falando da boca para fora? Se forem palavras meramente displicentes, então precisa quebrá-las, antes que abra uma porta para que se tornem realidade".
Ainda não entendia bem esse princípio, mas aceitei a sua advertência, e logo quebrei o poder das minhas palavras - graças a Deus a tempo - antes que viessem a se cumprir. Eu disse: "Quebro o poder das minhas palavras sobre minha morte por uma rajada de balas de metralhadora. Vou viver até Jesus voltar, ou até a velhice, cumprindo o ministério que Deus me chamou a fazer, em nome de Jesus".
Tenho certeza que estou vivo hoje e produzindo fruto no Reino de Deus por ter quebrado o poder das minhas palavras de morte sobre mim mesmo. Já estive diversas vezes, nas minhas viagens, na frente da mira de metralhadoras, e tive livramentos sobrenaturais nessas horas, pois fechei a brecha que um dia tinha aberto contra mim mesmo com aquelas palavras mortíferas.

FLECHAS QUE PODEM TRAZER MORTE
As nossas palavras negativas não têm o mero efeito de ar saindo da boca, mas são como flechas que podem até trazer a morte, como está escrito em Jeremias 9.8: "A língua deles é uma flecha mortal" (NVI).
As palavras nocivas e prejudiciais que soltamos sem pensar duas vezes podem ser flechas que ainda trarão a nossa própria morte precoce. Por isso, precisamos tomar muito cuidado e evitar esses tipos de colocações verbais.
Mesmo com esse alerta do meu pai sobre a cautela que precisamos ter com nossas palavras, ainda não entendia de uma forma plena esse princípio. Levei anos vendo na prática a força que as palavras têm e estudando a Palavra de Deus, até que tive uma revelação pessoal desse poderoso princípio espiritual.
A passagem bíblica que me fez acordar para essa verdade, que expressa com muita precisão esse incrível poder que possuímos em nossas bocas, está em Provérbios, quando Deus disse: "A morte e a vida estão no poder da língua" (18.21). A expressão "morte e a vida estão no poder" não está se referindo a uma forma apenas figurativa ou ilustrativa; está falando de um princípio real e com conseqüências diretas e tangíveis sobre as nossas próprias vidas, como também nas das pessoas ao nosso redor.
O fato triste é que a maioria delas somente descobre esse poder tarde demais, quando os efeitos colocados em ação por palavras torpes liberadas já vieram à tona. Tiago se expressa com veemência sobre o poder das nossas palavras negativas, quando diz que a língua usada da forma errada é "um mundo de iniqüidade"; que "contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno"; e, por último, que ela é "um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero" (Tg 3.6, 8 - NVI).
Podemos ver nesses versículos uma confirmação da mesma linha de ensinamento bíblico sobre o potencial mortífero da língua fora de controle, quando usada para trazer morte ao invés de vida.
Um pastor africano fazia um maravilhoso trabalho de evangelização no interior de seu país, e já tinha fundado mais de 100 igrejas, a maioria das quais beirando um extenso rio. Com o grande crescimento do seu ministério, foi necessária uma forma mais rápida de viajar para que ele pudesse visitar as igrejas e pastores que supervisionava.
Após muita oração, ele sentiu que deveria liberar a sua fé e pedir a Deus condições para comprar um pequeno hidroavião. Começou o curso para tirar seu brevê de piloto e em pouco tempo o concluiu com êxito. Depois de orar mais, com muita alegria pôde comprar o seu primeiro avião usado.
A satisfação que sentia em poder visitar com rapidez suas igrejas, aliada a delirante sensação de estar voando como um pássaro, permitiram que ele ficasse muito empolgado com essa nova fase do seu trabalho beira-rio. Um dia, ao chegar em casa após uma das suas viagens, declarou algo que pensou ser de pura inocência. Fitou os olhos da sua esposa e disse: "Amo tanto estar no ar, que acho que seria uma maneira gloriosa de um dia morrer, dentro de um avião". Ele se impressionou tanto com essa sensação, que repetiu essa frase mais algumas vezes para vários amigos e pastores que trabalhavam no seu ministério.
Após alguns meses viajando no seu aviãozinho, aconteceu o primeiro desastre. Enquanto estava no ar, perdeu o controle do avião e, caindo, chocou-se contra o rio. O avião foi destruído, mas ele sobreviveu! Mesmo assim, não ponderou sobre o elo entre suas palavras de morte gloriosa num avião e o acidente que sofrera. Continuou a dizer a mesma coisa e, ao conseguir comprar outro avião com o dinheiro do seguro que havia feito, voltou a pilotar com o mesmo ânimo.
No ano seguinte aconteceu o seu segundo desastre aéreo, semelhante ao primeiro. O avião bateu na água de novo e, mais uma vez, foi destruído. O pastor continuou a pilotar, após a aquisição do terceiro avião, sem quebrar as palavras de morte que tinha proferido sobre si mesmo.
Na terceira vez em que o avião caiu, ele realizou o seu objetivo de morte "gloriosa", e faleceu. Eu tenho certeza que as primeiras duas quedas foram avisos de Deus para que tivesse uma chance de retirar suas palavras de morte, mas ele não prestou atenção aos avisos e foi estar com o Senhor. Por ter um ministério importante, que ganhava muitas almas para o Senhor Jesus, foram dadas ao pastor duas chances para mudar as suas palavras, mas ele não o fez.
Esse servo de Deus era um homem íntegro, de fé e oração, mas não entendia o princípio sobre o poder das nossas palavras. Ele teve uma morte precoce porque foi desleixado com o que saiu da sua boca. Com certeza, ainda tinha muito a fazer para o Reino de Deus, mas abriu uma brecha na sua vida para o ataque de Satanás por não levar a sério aquilo que dizia. Achava romântico, e provavelmente um tanto corajoso, falar que seria legal morrer assim. Mas sem perceber, estava desde aquele momento abrindo um espaço para trazer à realidade os seus dizeres.
E o mais lamentável é que mesmo tendo proferido palavras de morte sobre si mesmo, havia esperança, havia solução. Palavras uma vez faladas não podem ser retiradas, isso é uma verdade, mas podem ser anuladas através de novas declarações. Se esse pastor africano tivesse acordado para o ímpeto do que dizia, poderia ter quebrado esse poder de morte liberado sobre si mesmo. Ele poderia ter falado: "Não vou morrer em um desastre de avião. A partir de agora, quebro a maldição que lancei contra mim mesmo sem perceber, e declaro que vou morrer na minha cama, de velhice, após desempenhar tudo o que Deus me chamou para fazer". Se tivesse feito isso, tenho certeza que hoje ele estaria vivo, trabalhando para o Senhor que tanto amava.
Tome extremo cuidado com o que você fala! Esse poder para trazer morte e destruição não existe apenas para os que estão vivendo em pecado, longe de Deus. Pessoas consagradas, tementes a Deus e com uma vida correta podem também trazer a sua própria morte antes da hora, por causa da imprudência verbal. Por isso, precisamos ter um incrível zelo com as declarações que saem das nossas bocas, que devem ser sempre palavras de bênção e de vida, e não de ruína e morte.
Um cantor e pianista evangélico americano possuía uma unção especial sobre o seu ministério, atingindo muitas vidas quando tocava e cantava. Ele começou a dizer aos amigos: "Viajo muito de ônibus e acredito que vou morrer em uma dessas viagens". Sem entender o poder da sua língua para trazer vida ou morte sobre si mesmo, ele selou seu destino. Não muito tempo depois, estava em um ônibus que sofreu um acidente, e foi o único passageiro a morrer. Encurtou um ministério que ainda podia ter tocado milhares de vidas, por não entender as conseqüências das suas palavras.
Provérbios 25.15 diz: "A língua branda quebra até ossos" (NVI). Uma das definições da palavra branda no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa é "de pouca intensidade". Esse versículo está dizendo que mesmo uma palavra fraca tem poder até para quebrar ossos! E uma palavra forte, então? Qual é o limite do seu poder? Devemos levar muito mais a sério tudo que sai das nossas bocas. Até o Senhor Jesus, no seu ministério aqui na Terra, tinha essa cautela.

JESUS VENCEU A BATALHA DAS PALAVRAS
A maior batalha de Jesus contra Satanás foi sobre palavras! O livro de Mateus, capítulo 4, nos fala sobre esse encontro. Após um período de 40 dias e 40 noites jejuando no deserto, Jesus ficou com fome. Depois disso veio a sua tentação, motivo pelo qual a passagem diz que Jesus foi levado ao deserto pelo Espírito.
As três investidas de Satanás contra o Senhor, nesse momento de tentação, vieram através de distorções das Escrituras, quando o Diabo manipulava a Palavra de Deus. O inimigo tentava fazer Jesus dizer algo errado, e com isso abrir uma brecha através da qual pudesse vencê-lo.
Satanás sabia que se conseguisse que Jesus falasse algo dúbio ou equivocado, teria como derrotá-lo e à sua missão na Terra de salvar a humanidade.
Mas Jesus foi extremamente precavido nas respostas que deu baseando-se em interpretações corretas das Escrituras. Ele sabia muito bem qual era o objetivo do inimigo em tentar fazê-lo proferir palavras e tomar decisões que o abririam para a investida e derrota de Satanás. Se o próprio Senhor Jesus foi extremamente atento às suas palavras, por entender a prodigiosa influência e poder que exercem sobre as nossas vidas, podendo causar a morte e a destruição da nossa missão, muito mais nós devemos prestar uma minuciosa atenção a tudo que dizemos. Usando sabedoria com o que falava, Jesus derrotou Satanás, e ele foi forçado a deixar o Senhor e ir embora.
Quando Jesus disse "Tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus" (Mt 16.19), não estava tratando apenas de coisas positivas, que trazem vida. Com certeza é o desejo do nosso Pai Celestial que usemos as nossas palavras para ligar no céu acontecimentos abençoadores. Mas o fato é que esse poder, quando usado de forma errada, pode ligar no céu morte sobre nós mesmos.
Não libere palavras de morte, nem brincando, sobre si mesmo ou outras pessoas ao seu redor. Senão, o que você fala pode acontecer, para sua própria angústia. Seja uma fonte de bênção com suas palavras e jamais de maldição. Use o poder contido na sua língua para trazer vida e nunca a morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário